PRIMEIRO PROJETO (África do Sul)

English text below.

Primeiro Projeto – Ajuda Social

Projeto1-1

Molweni amigos! Nosso primeiro voluntariado foi na África do Sul, no projeto chamado Amapondo Children’s Project, iniciado em 2001 e registrado como uma Organização sem fins lucrativos em 2006. O projeto visa ajudar diversas instituições e comunidades de Port St Johns, local situado no centro do antigo Transkei, que é classificado como um dos 10 mais pobres do mundo.

Transkei, durante os anos de apartheid se tornou independente da África do Sul, porém sem conseguir se manter após falências de indústrias e governos corruptos, em 1994 a região foi re-incorporada pela África do Sul, ficando então somente 20 anos independente.

Projeto1-6

Nosso envolvimento está sendo na Mthumbane Pre-Primary School, uma escola no estilo jardim da infância, construída pela comunidade em 1989 e inaugurada em 1990. Sem contar com o auxílio do governo até os dias de hoje, esta escola sobrevive com o apoio de voluntários. Recebe cerca de 70 crianças de 0 até 6 anos, divididas em 2 turmas, de 0 a 2 anos e de 2 a 6 anos. Além das 2 salas de aula, ainda conta com uma pequena cozinha, (sem água na parte interna), um pequeno hall que é usado como sala dos professores e um banheiro, este instalado em 2015, com privada e descarga (e até então as crianças nunca tinham visto ou usado uma privada com descarga).

Ajudamos de segunda a sexta, das 8:00h até as 13:30h. Nossas tarefas variam de acordo com o dia, desde manutenção geral da escola, cuidar e brincar com as crianças no “recreio”, preparar lanche e almoço, ajudar em sala de aula ou qualquer outra necessidade que surgir.

Projeto1-2


A principal dificuldade é a língua, praticamente todas as crianças só falam a língua local Xhosa e estão começando a aprender alguma coisa de inglês. Assim, para podermos nos comunicar e entender as crianças temos que aprender algumas palavras e expressões desta língua local. As 3 professoras, assim como a diretora, falam inglês, mas a cozinheira só sabe algumas palavras e frases, o que deixa a vida na cozinha bem divertida. Aprender a língua local foi muito hilário, pois todos caem na gargalhada quando tentamos falar alguma coisa.

Projeto1-4


First Project – Social Aid 

Hi Friends! Our first volunteer work was in South Africa, in the Amapondo Children’s Project, which started in 2001 and was registered as a non-profit organization in 2006. The project aims to help several institutions and communities in Port St Johns, a place in the center of the old Transkei , which is ranked as one of the 10 poorest in the world.

During the apartheid years, Transkei became independent of South Africa, but unable to maintain itself after bankruptcies of corrupt industries and governments, in 1994 the region was re-incorporated by South Africa, leaving only 20 years independent.

Our involvement is at the Mthumbane Pre-Primary School, a kindergarten-style school, built by the community in 1989 and inaugurated in 1990. Without government assistance to this day, this school survives with the support of volunteers . It receives about 70 children from 0 to 6 years old, divided into 2 groups, from 0 to 2 years and from 2 to 6 years. In addition to the 2 classrooms, there is also a small kitchen (without water inside), a small hall that is used as a teachers’ room and a bathroom, installed in 2015, with private and unloading (and until then children had never seen or used a toilet with discharge).

We help from Monday to Friday, from 8:00 a.m. to 13:30 p.m. Our assignments vary by day, from general school maintenance, caring for and playing with children in the “playground”, preparing snacks and lunches, classroom help, or any other need that may arise.

The main difficulty is the language, practically all the children only speak the local Xhosa language and are beginning to learn something of English. Thus, in order to communicate and understand children we have to learn some words and expressions of this local language. The 3 teachers, as well as the principal, speak English, but the cook only knows a few words and phrases, which makes life in the kitchen a lot of fun. Learning the local language was very hilarious, because everyone laughs when we try to say something. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *